sábado, 1 de setembro de 2012

CRIAÇÃO DE CODORNAS

exemplar de Codorna (Coturnix coturnix sp.)

A criação de codornas é um ramo da avicultura que tem despertado grandes interesses nos produtores, pelo seu rápido retorno econômico. A atividade possui dois grandes atrativos principais, sendo compreendidos pela produção de carne e ovos e ainda pode-se obter renda adicional com a produção de codornas de um dia e codornas recriadas com 20 a 35 dias de idade.
As codornas (Coturnix coturnix sp.) são pequenas aves originárias da Europa e da Ásia. Os primeiros dados históricos sobre a procedência da codorna datam o século XII, porém a criação das aves para a produção de carne e ovos teve início em 1910 no Japão, China e Coréia. Quando se buscou cruzamentos para obter um animal de alta produção, principalmente de ovos no caso da variedade japonesa da espécie (Coturnix oturnix japonica).
Essa pequena ave pode ser uma grande alternativa de lucratividade pelo seu grande retorno econômico, rusticidade, rápido crescimento, baixo consumo alimentar e alta produtividade. Quando manejada corretamente as aves podem chegar a uma produção aproximada de 300 ovos por ano, necessitando pequenos espaços de alojamento.
São aves resistentes e se adaptam a diversas condições ambientais, mas possui um melhor desenvolvimento em clima estável, com temperatura de aproximadamente 23 ºC e local protegido contra intempéries.
Codornas abatidas para o consumo da carne.
A carne de codorna é muito saborosa e possui um grande nível de aceitação pelo consumidor, sendo considerada uma iguaria fina e permitindo vários tipos de processamento de defumados e pratos culinários.
Para a produção de carne, as variedades mais utilizadas são a Bob White (variedade americana) e a codorna européia, pois essas variedades possuem um bom rendimento de carcaça e um maior peso ao abate, sendo sua carne muito apreciada pelo seu alto valor nutritivo e por ser muito saborosa.
Os cuidados na implantação da coturnicultura (produção de codernos) devem ser seguidos rigorosamente para o sucesso na produção. Deve-se evitar a implantação do aviário em um local com muito barulho, pois aumentará o índice de estresse nas aves, e estando afastado das estradas de rodagem, dificulta o escoamento da produção. Para o conforto térmico das aves é essencial o controle da temperatura, além de uma boa luminosidade e manejo adequado do fotoperí-odo (aproximadamente 17 horas luz diárias), sendo esse um dos principais fatores responsáveis pela postura. Também devemos ter cuidado com a nutrição e o fornecimento de água, priorizando sempre a qualidade e quantidade adequada.
Codornas de postura para produção de ovos.
No manejo reprodutivo deve-se ter o cuidado nos cruzamentos, pois as codornas são animais sensíveis aos cruzamentos consanguíneos, ou seja, cruzamento entre indivíduos com ancestrais em comum (alto grau de parentesco).
A alta sensibilidade aos problemas de consanguinidade é em virtude do pouco material genético disponível atualmente para a criação. Isso pode acarretar em problemas reprodutivos, diminuição na variabilidade genética e baixa na produção.
A criação de codornas se torna rentável quando existe um planejamento antes da implantação. Como em qualquer outra atividade, o primeiro passo para a implantação se baseia na avaliação de toda a cadeia produtiva e na observação do mercado consumidor, pois entre outros é um dos principais fatores que possibilitam o direcionamento e êxito da produção, gerando lucro para o produtor e satisfação para o cliente.


Fonte: 
CRIAÇÃO DE CODORNAS: Pequenas e Lucrativas - Tiago Goulart Petrolli, Professor Curso de Zootecnica - CEO/UDESC. Doutorando em Zootecnia/UNESP.




Um comentário: